6 razões para não precisar de uma sala comercial

48% dos gerentes comerciais trabalham metade da semana remotamente, fora de sua sala. A tecnologia é o grande trunfo: ajuda a diminuir as distâncias, agilizar processos e garantir melhor qualidade de vida

 

Há uma década, você sonhava em entrar em uma grande empresa, com benefícios para garantir sustentabilidade até a aposentadoria. Provavelmente esta empresa estava localizada em um grande escritório, você teria sua mesa com o computador, vaga no estacionamento, gavetas com chave e material de escritório sempre em mãos.

De cinco anos para cá, basta um smartphone para você começar a trabalhar, marcar reuniões, enviar arquivos, digitar e-mails e resolver problemas sérios à distância. A mobilidade foi um dos motivos que permite um local de trabalho não convencional, como uma padaria, um café, o aeroporto ou a casa de algum parente. Segundo uma pesquisa internacional feita Regus sobre Indicadores Econômicos Globais de 2013, 48% de gestores trabalham metade da semana de forma remota. Foram 26 mil pessoas entrevistadas em 90 países.

Descubra aqui 6 motivos pelos quais não é necessário um escritório fixo.

Tecnologia colaborativa

Basta estar ligado com a internet para você se conectar com o trabalho. O avanço dos sistemas de wi-fi e a agilidade do 3G – que em breve passará a ser o 4G – permite fazer update nos e-mails rapidamente e saber das principais informações da empresa em que trabalha por dispositivos móveis. Além disso, é possível fazer reuniões e apresentações online, com interação direta.

Novos locais de trabalho

Qualquer lugar com internet é um local de trabalho. Café, a sua casa, a casa de um amigo em outro país, aeroporto… Mas, se quiser um local sem tanta distração para focar no que está fazendo, procure por um coworking. O espaço de trabalho compartilhado pode estar perto da sua casa para facilitar o dia a dia. Garante internet, café, e pessoas interessantes que podem aumentar seu círculo de contatos, crescendo seu negócio.

Geração Y de trabalhadores

Em 2020, a geração Millenials (também conhecida como geração Y) será maioria no mundo. São pessoas que cresceram na interatividade do computador, redes sociais, facilidade de acesso, independência e mobilidade. Elas estão acostumadas a compartilhar informações e não sabem como é trabalhar sentada em uma mesa, cumprindo o mesmo horário, no mesmo local. É preciso se adaptar aos futuros funcionários.

Local atrativo de trabalho

Segundo uma pesquisa feita pela Chess Media Group, 90% dos trabalhadores acreditam que uma organização que oferece horário flexível de trabalho é mais atrativa do que aquela que não permite isto. Essa é uma dica para quem quer atrair jovens funcionários: para os talentosos, é quase essencial que os empregadores não queiram um trabalho full-time no escritório.

Economia de tempo

O deslocamento ao trabalho pode fazer o funcionário perder muitas horas do dia. Em São Paulo, 63% das pessoas gastam de 30 minutos a 3 horas para ir ao compromisso pela manhã, de acordo com uma pesquisa feita pelo Ibope em 2008. Além do gasto com combustível ou passagem, não existe produtividade enquanto está no transporte. Com horários flexíveis, o funcionário pode pular o horário de pico ou selecionar alguns dias para ir ao escritório.

Melhor qualidade de vida

Sem estresse de trânsito, com novas distrações à tarde para provocar a criatividade, o funcionário se sente mais confiante em exercer a sua função, mesmo de longe. Segundo uma pesquisa na Universidade Umea, na Suécia, casais que um dos parceiros viaja diariamente mais de 45 minutos para trabalhar têm 40% mais chance de se divorciar. As pessoas podem usar este tempo com a família, lazer ou aproveitando para o trabalho.

*Inspirado no texto de Jacob Morgan, presidente do Chess Media Group. http://goo.gl/J6s1XF