Organizando um ambiente de trabalho compartilhado

Diferentes profissões, rotinas, horários e personalidades exigem regras muito bem definidas para a necessidade de um não interferir no trabalho de outro. No Lab 48 Coworking uma assembleia solucionou e ordenou as demandas de todos

 

Quando o espaço é compartilhado, as regras de convivência no ambiente devem ser decididas democraticamente – e com a ajuda de todos. Esta, pelo menos, é a filosofia do Lab 48, coworking próximo à Av. Paulista. Periodicamente, o espaço organiza um bate-papo entre os coworkers, para acertar as arestas da boa convivência no ambiente.

Nesta assembleia, é exigida a presença de ao menos um representante de cada empresa e o grupo é acompanhado por ao menos um dos quatro sócios do espaço. A conversa é comandada pelo gerente do Lab 48, que chega com alguns tópicos predefinidos, abrindo a discussão na etapa final do encontro, para que os participantes levantem questões pontuais e particulares.

Um ponto tratado na reunião, por exemplo, foi a utilização não sustentável de alguns materiais de plástico. “Não há necessidade de copos de plástico quando temos uma copa com pia para lavar a louça, e copos de vidro, canecas e xícaras à disposição”, afirmou Giuliana Tocillo, co-founder da Kaplan, empresa de consultoria na aprovação e gestão de projetos relacionados à vegetação em órgãos ambientais. A sugestão dela de retirar os copos já foi acatada e agora todos colaboram para manter a pia organizada. Quando há reuniões no espaço para mais pessoas, aí sim copos de plásticos são disponibilizados.

“Demandas sempre surgem, o diferencial está em como elas são tratadas. Aqui no Lab 48 discutimos ponto a ponto, em conjunto, num espaço onde todos têm voz. Não só os problemas não viram um estresse desnecessário, como o bate-papo acaba contribuindo para uma maior interação entre os coworkers, o que, no fim, pode resultar em bons negócios”, argumenta Rodrigo Rufino, gerente do espaço.

Abaixo, cinco dicas do Lab 48 para organizar o ambiente de trabalho:

  1. Considere todas as críticas, sem menosprezar as pequenas reclamações;
  2. Entenda a função e rotina de cada coworker. Tal sensibilidade conta na hora de vetar ou aprovar regras que podem prejudicar o trabalho de alguém;
  3. Tenha um mediador, com poder de iniciar ou finalizar uma discussão, definir prioridades, organizar as demandas, etc.
  4. Disponibilize a todos um manual, com todas as regras bem claras e explicadas;
  5. Tenha regras para encerrar discussões. Por exemplo, “quem não comparece não tem direito a voto” ou “a maioria vence”. Assim, mesmo havendo opiniões diferentes entre os coworkers, é possível chegar a uma decisão final.